(86) 9 9983-4382
Discussão

Postada em 18/10/2018 ás 20h14

Publicada por: Redacao

Juiz suspende recomendação do MP que 'autorizava' Polícia Militar a registrar B.O no Piauí
Recomendação do procurador-geral gerou repulsa do Sindicato dos Delegados do Piauí.
Juiz suspende recomendação do MP que 'autorizava' Polícia Militar a registrar B.O no Piauí

Imagem ilustrativa.

Nesta semana uma recomendação do procurador geral do MP, Cleandro Moura, causou polêmica entre o MP e os Sindicatos dos Delegados e o dos Policiais Civis. Na recomendação, O MP ‘orienta’ que Policiais Militares poderiam fazer Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) de crimes de menor potencial ofensivo no Piauí, o MP deu prazo de 30 dias para a PM se adequar a recomendação. Os sindicatos alegaram que essa é função exclusiva da Polícia Civil.

Com isso, o juiz Rodrigo Alaggio Ribeiro, da 2ª Vara da Fazenda Pública, determinou nesta quinta-feira (18) que seja suspensa a recomendação do MP-PI. O magistrado foi favorável a ação impetrada pelo Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Piauí (Sindepol), que considera um ‘retrocesso’ a recomendação que seria ilegal.

Em entrevista à imprensa, o delegado Higgo Martins, presidente do Sindepol, afirmou que tão recomendação marcaria a volta dos delegados militares, abolidos há mais de uma década, e que seria um tremendo retrocesso para o Estado.

Além disso, a Justiça considerou que a recomendação do MP-PI infringe a norma da Constituição Federal no artigo 144, parágrafos 4 e 5, além do artigo 22 da CF, que ressalta que só compete à União legislar sobre matéria processual e penal.

O MPE pode recorrer da decisão, já o Sindepol registrou uma representação contra a decisão do MPE no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Receba notícias do 'falapiaui.com' através do WhatsApp

Fala Piauí no Facebook:
imprimir

Veja também

»
© Copyright 2018 - Fala Piauí - Todos os direitos reservados - E-mail: [email protected]
Site desenvolvido pela Lenium