(86) 9 9983-4382
Superação

Postada em 05/12/2018 ás 19h42

Publicada por: Redacao

Fonte: Ascom PMT

Atleta piauiense transplantada conquista medalhas em jogos internacionais
Atleta competiu na Argentina.
Atleta piauiense transplantada conquista medalhas em jogos internacionais

Créditos: Rômulo Piauilino

Com apenas seis meses de treino, Gabriela Silva Noronha, de 44 anos, conquistou três medalhas, nas modalidades natação e corrida, em sua primeira participação na 9º edição dos Jogos Latino-americanos para Transplantados em 2018, realizados em outubro, na Argentina.  Ela faz parte de um grupo muito especial de pessoas que descobriram novas habilidades após a necessidade de um transplante de órgãos.

Gabriela é transplantada hepática (fígado) há cinco anos, mas foi há dois que começou a treinar vôlei de areia e sua vida ganhou novos rumos através do esporte. “Por meio do vôlei, eu comecei a questionar se havia outros transplantados atletas, porque eu percebia que ele me fazia muito bem. Eu mantinha minhas taxas normais e observava que o esporte me dava um humor melhor, equilíbrio emocional e isso era nítido, tanto que meu médico diz que eu não parecia uma transplantada, e eu não queria parecer mesmo (risos)”, diz.

Com a prática do vôlei, Gabriela começou a pesquisar sobre a existência de outras pessoas transplantadas que também são atletas. Foi assim que descobriu a existência de um grupo, formado por 4 atletas, dois deles de São Paulo, que já tinham inclusive participado de jogos mundiais.

“Entrei em contato com eles e fui informada que o vôlei não era uma das modalidades do mundial, então precisaria encontrar outros esportes. Foi quando eu conheci, no vôlei, um amigo que faz parte de um grupo de corrida chamado Love Run, organizado por um dono de academia. Conversei com o proprietário da franquia, contei dos jogos da Argentina, que servem como uma seletiva para os Jogos Mundiais para transplantados, que serão realizados no Reino Unido em 2019.  Mas, inicialmente, eu disse que queria me preparar da competição na Argentina e eles me ajudaram.  Além disso, consegui competir com a ajudar da Prefeitura de Teresina, que me deu todo apoio”, completa Gabriela.

Após muito treino em cerca de seis meses, Gabriela viajou para a Argentina e, conseguiu medalhas nas três modalidades das quais participou. “Tenho uma medalha na modalidade 5 km de corrida; uma de primeiro lugar nos 100m nado peito e outra de terceiro lugar no nado peito 50 metros”, comemora.

De Brasil todo, 20 atletas participaram dos Jogos Latino-americanos para Transplantados. Da região Nordeste, Gabriela foi a única representante e também a única transplantada de fígado. O restante era transplantado de coração, pulmão, rim (a maioria) e medula.

Associação Brasileira de Transplantados

Através do contato com outros atletas, Gabriela foi convidada para representar o Nordeste na Associação Brasileira de Transplantados. A instituição tem como objetivo tocar em questões extremamente delicadas como falta de medicamentos, além de fazer campanhas para doação de órgãos e incentivar o esporte.

“Uma das minhas missões na Associação é chamar atenção dos transplantados do Piauí para que eles tenham interesse em praticar esporte e, principalmente, fazer com que eles tenham conhecimento de que podem se exercitar, e que as atividades físicas servem até como um remédio alternativo”, destaca Gabriela. 

De acordo com a atleta, um dos obstáculos da doação de órgãos no Piauí é a negativa familiar. A cada dez famílias que perdem um ente querido por morte encefálica no Estado, oito dizem não para a doação.  “A meta da associação é, em dois anos, melhorar os indicadores de doação em 30%. Para isso, a gente busca uma articulação com o Ministério Público e a Universidade Federal do Piauí para o Hospital Universitário ser utilizado para a realização de transplantes”, acrescenta.

Receba notícias do 'falapiaui.com' através do WhatsApp

Fala Piauí no Facebook:
imprimir

Veja também

»
© Copyright 2018 - Fala Piauí - Todos os direitos reservados - E-mail: [email protected]
Site desenvolvido pela Lenium